domingo

Um momento de poesia...

Publicada por Ana Isabel Pedroso 3 comentários


Gostava de ser uma única coisa,
De uma única forma,
E sempre igual,
Tal e qual.
Sem espaços para hesitações.
Gostava de não comprar roupa,
Apenas substituir peças.
Assim não me enganava nas cores
Nem perdia tempo no armário.
Era tão cómodo!
A qualquer indignação por esta minha obsessão
Respondia com rigor:
- Sou assim, senhor,
Sou sempre assim.
Não há que enganar,
Nem que reclamar.
Era tão fácil!
À segunda-feira colocava a cara de sair para o trabalho,
O penteado com risco à esquerda, sem pontas a cair desordenadas.
Era assim até sexta-feira à tarde, sempre da mesma forma.
Sem esquiço de sentimento, nem o rasgo de um lamento,
Apenas aquela farda e um sorriso amarelo,
Como convém no local onde se trabalha.
Nada de risadas e palhaçadas.
Tudo muito sério, certo e sem erros ou reformulações.
À sexta-feira à tarde vestia o fato de ir às compras sempre com a mesma lista,
Nem um bago de uva comprava, caso não estivesse no papel.
No sábado cozia as meias e varria os terraços,
No domingo rezava e lavava a alma nas mãos de um prior qualquer.
Como era simples ser singela e previsível,
Impossível de me lerem qualquer desatenção
Ou atrapalhação.
Como era simples e adorável,
Ter uma vida imaculada,
Sempre a meio de tudo e sem excessos.
Sentar-me diligente na secretária vazia e sem trabalho distribuído,
E dar graças ao Estado de Graça que me alimenta,
E deposita, no dia 23, o valor inteiro de cada mês,
Caso o dia 23 não calhe ao fim-de-semana ou em qualquer feriado
Santificado ou não,
Pois, aí, o pagamento é antecipado,
Mesmo para os que nada produzem, mas reluzem.
Sim, porque os vejo passar por mim
Muito emproados, cheios de coisas para fazer,
Assim do género de preencher boletins itinerários,
Para engordar os salários que o governo anda a cortar,
Logo eu que odeio boletins itinerários e salafrários.
Ai quem me dera ser pura e não ter este feitio defeituoso
De ver, ao pormenor, que era muito melhor não ver,
Nem ouvir, nem sentir o cheiro putrefacto da nação,
Estragada pelos especialistas e pelas comissões de avaliação.
Ai meu Deus, prendei-me este clamor.
Que quando me faltam as peças fico mesmo sem elas,
Não as substituo,
E muitas vezes me tem faltado o tom certo no casaco
Cansado de não se rasgar e dizer basta.
Gostava mesmo de ser uma única coisa,
Compassiva.
Mas dentro de mim há demónios à solta
Que já não consigo prender.
Querem avançar, reclamar, trabalhar,
E eu que gostava tanto de ser uma única coisa,
Compassiva, já disse!
Era mais simples que barafustar, bufar e estrebuchar.
Era mais simples e eu podia sê-lo.
Podia até nem fazer nada.
Mas os demónios vigorosos dentro de mim,
Querem destruir toda a fachada,
E são mais fortes que este meu desejo
De vestir o fato de ir às compras sempre com a mesma lista.

AutoraFátima Marinho

Podem ver o  poema no site www.fatimamarinho.comPodem comentar e partilhar.

sábado

Pensar...

Publicada por Ana Isabel Pedroso 2 comentários
"Pensar é o trabalho mais difícil que existe, e esta é provavelmente a razão por que tão poucos se dedicam a ele." - (Henry Ford)

sexta-feira

Ler...

Publicada por Ana Isabel Pedroso 1 comentários


"O importante é motivar a criança para a leitura, para a aventura de ler" - (Ziraldo)




terça-feira

"A Dama Negra da Ilha dos Escravos, Memórias de Dona Simoa Godinha" de Ana Cristina Silva

Publicada por Ana Isabel Pedroso 5 comentários

Autora: Ana Cristina Silva

Título: A Dama Negra da Ilha dos Escravos

Memórias de Dona Simoa Godinha

Editora: Editorial Presença


 Páginas: 176




Sinopse: 
A personagem central deste romance, D. Simoa Godinho, é uma das figuras históricas mais intrigantes e misteriosas da Lisboa do século XVI. Tendo nascido em S. Tomé, no seio de uma família rica de fazendeiros, acabaria mais tarde, já casada com o fidalgo Luís de Almeida, por vir viver para a capital do reino, onde viria a expressar o seu carácter profundamente humano através de inúmeras obras de solidariedade, nomeadamente junto da Misericórdia. Ficamos a conhecer toda a sua vida – a infância e juventude no exotismo de S. Tomé, a paixão por Luís de Almeida, a sua influência na sociedade lisboeta da época - neste romance soberbo que tão bem soube captar as múltiplas nuances desta personalidade que tem apaixonado sucessivas gerações de historiadores.


Sobre a autora:
Ana Cristina Silva é docente universitária, lecciona as cadeiras de Psicologia da Comunicação e da Linguagem e de Seminário de Estágio no Instituto Superior de Psicologia Aplicada. Doutorada em Psicologia da Educação, especializou-se na área da aprendizagem da leitura e da escrita, desenvolvendo investigação neste domínio com obra científica publicada em Portugal e no estrangeiro.


A minha opinião:
Os livros não se medem aos palmos. A frase não é aplicada aos livros, mas achei que poderia aplicá-la a este livro. "A Dama Negra da Ilha dos Escravos - Memórias de Dona Simoa Godinha" é um livro pequeno quer em tamanho, quer em números de páginas, mas não o é no seu conteúdo. Uma história de vida extraordinária.

Para quem gosta de ler biografias, aconselho a leitura deste livro!
Vai recuar no tempo até ao século XVI e visitar a ilha de S.Tomé e cruzar-se com  Dona Simoa Godinha...

segunda-feira

Resultado do Passatempo: "A Abelha Zena, A Rainha Serena"

Publicada por Ana Isabel Pedroso 3 comentários



O passatempo chegou ao fim! 

Antes de anunciar o vencedor ,quero agradecer à autora, Maria Eugénia Ponte e aos sessenta e dois participantes do passatempo "A Abelha Zena, a Rainha Serena".

O vencedor escolhido aleatoriamente através do random,org é o participante nº 23.

Marta Coutinho (Pombal)

Muitos Parabéns!!!

sábado

"Desaparecido para Sempre" de Harlan Coben

Publicada por Ana Isabel Pedroso 3 comentários


Título: Desaparecido para sempre

Autor: Harlan Coben

Páginas: 362

Editora: Editorial Presença




Sinopse:
Onze anos atrás, a 17 de Outubro, na pequena cidade de Livingston, Nova Jérsia, o meu irmão Ken Klein, então com vinte e quatro anos, violou brutalmente e estrangulou a nossa vizinha Julie Miller. Na cave dela. "Esta é, pelo menos, a versão oficial da Polícia, mas nem Will, irmão de Ken, nem os seus pais jamais duvidaram da inocência de Ken, apesar das evidências junto ao local do crime. Onze anos passaram e nunca mais se soube do paradeiro de Ken. Estaria ele vivo ou morto? Will sempre preferiu acreditar na segunda hipótese, até ao dia em que a sua mãe, no leito da morte, lhe revela que Ken está, afinal, vivo. Um thriller intenso.

Sobre o autor:
Harlan Coben nasceu em Newark, New Jersey, Estados Unidos da América. Após ter terminado o curso em Ciência Política, trabalhou na indústria de viagens. Até ao momento escreveu sete aclamados romances, tendo a Presença publicado dois deles "Não Contes A Ninguém" e "Na Pista de Um Rapto". Vive em New Jersey com a mulher e quatro filhos.


A minha opinião:
Ufa, que livro!
Depois de dois ou três livros livros do autor já devia de estar habituada, mas não. Ler um livro de Harlan Coben é ter sempre o coração nas mãos, nunca se sabe o que vai acontecer a seguir.


Gosto imenso da forma como o autor nos apresenta o enredo. Consegue envolvermos às primeiras frases. Os finais são sempre inesperados, mesmo muito inesperados. Quando se pensa que tudo está resolvido, eis que surge a reviravolta completa.


Para os amantes do género policial é obrigatório a leitura deste livro!


quarta-feira

Pela voz de Maria Eugénia Ponte

Publicada por Ana Isabel Pedroso 0 comentários

Boa tarde, tudo bem?

Antes de mais, quero pedir desculpa pela “invasão” mas quero fazer-lhe um convite... partilhar comigo a minha paixão pela escrita.

É verdade, para mim escrever é uma paixão que cresce a cada novo livro e está quase a chegar a data do lançamento do meu livro “Abelha Zena, a Rainha Serena, no próximo dia 2 de Outubro, às 16 horas, no auditório da Galeria Museu João Mário, emAlenquer.
 Teaser” do livro:
O novo livro de contos (dedicado exclusivamente ao fantástico mundo das abelhas) de Maria Eugénia Ponte é uma viagem de magia que vai deliciar crianças de todas as idades.
Abelha Zena, a Rainha Serena é a aventura única de um grupo de simpáticas abelhas, que vai passar por uma grande prova. Tudo por causa desse ser que, muitas vezes, não consegue conviver com os seus parceiros da Natureza... o Homem!
Conseguirão Zena e as suas amigas ultrapassar as dificuldades?



Será um prazer se puder contar com a sua presença mas, caso não seja possível, se estiver interessado em adquirir um exemplar (que pode ou não ser autografado), contacta-me, sim?
Só tenho os livros depois do lançamento, mas estou já a recolher as encomendas. 
O livro custa apenas 9€ (a preço de autor, nas livrarias vai ser mais caro) e eu ofereço as despesas de envio pelos CTT, sendo o pagamento efectuado por transferência bancária.
Pensando já no Natal, é uma boa opção para um presente para os mais pequenos. 
Mas, se não estiver interessado(a), pode sempre dar uma ajuda e divulgar pelos seus contactos...
Pode acompanhar as novidades sobre o livro aqui:
Ou no grupo do Facebook:
No rodapé deste mail, tem os links para estes endereços e também para os meus outros livros...
Muito obrigada pela atenção, 

segunda-feira

Passatempo para ganhar o livro "A Abelha Zena, a Rainha Serena"

Publicada por Ana Isabel Pedroso 3 comentários


O blogue Livros, o meu vício promove mais um passatempo, desta vez com a colaboração da própria autora, Maria Eugénia Ponte, para oferecer um exemplar do livro "A Abelha Zena, a Rainha Serena".


Regras do Passatempo:

- O passatempo decorrerá entre o dia 27 de Setembro e o dia 02 de Outubro até às 23h59. 

- Os dados solicitados (nome completo, email, morada completa, código postal e localidade) serão enviados para o endereço ana.sapedroso@gmail.com e qualquer participação que não possua algum destes dados é automaticamente anulada.

- Os vencedores serão sorteados aleatoriamente, sendo o anúncio dos vencedores efectuado por e-mail e publicado no blogue.

- Só é aceite uma participação por pessoa/morada e, por questões relacionadas com o envio do prémio só serão aceites participações de residentes em Portugal (continental e ilhas).


1 - Qual o título do livro anterior de Maria Eugénia Ponte?

2 - Quantas abelhas se podem ver na capa do livro?

3 - Data e hora do lançamento do livro "A Abelha Zena, a Rainha Serena"?

Boa Sorte!

domingo

"A Casa Vazia" de Rosemunde Pilcher

Publicada por Ana Isabel Pedroso 4 comentários

Título: A Casa Vazia

Autora: Rosemunde Pilcher


Páginas: 177

Editora: Difel


Sinopse:

O sonho secreto de Virgínia Keile é ter uma segunda oportunidade para amar o homem que conheceu, e tolamente perdera, durante um verão da sua adolescência. 
A vida ensinou-lhe muito em vinte e sete anos - casou com um solteiro escolhido pela sua mãe, teve um casamento solitário que terminou na morte acidental do marido e quase perdeu os dois filhos para a sua sogra.Agora, numa tentativa de refazer a vida, está de regresso à pitoresca zona da Cornualha e prepara-se para alugar uma casa à beira mar para os seus filhos e para si própria… e está também pronta para descobrir se desta vez é capaz de encher de amor uma casa vazia.


Sobre a autora:
Rosamunde Pilcher nasceu em 1924 e foi encorajada a escrever desde pequena. Tinha 15 anos quando deflagrou a Segunda Guerra Mundial. Terminou os estudos e trabalhou durante um ano no serviço Real Naval.
Rosamunde Pilcher escreveu ininterruptamente durante todos estes anos para várias revistas e publicou mais de uma dezena de livros. Na DIFEL estão já editados “Os Apanhadores de Conchas”, “O Tigre Adormecido”, “Solstício de Inverno”, “Carrocel do Amor”, “Montanhas Silvestres”, “Vozes de Verão”, “A Casa Vazia” e “O Outro Lado do Amor”.
Actualmente vive na Escócia, onde se dedica à literatura e à família.



A minha opinião:
Acho que já contei esta história algumas vezes. 
Descobri esta autora numa conversa com uma amiga virtual sobre livros. Aconselhou-me logo a ler o livro "Os Apanhadores de Conchas". Excelente leitura!

A Casa Vazia" é um romance simples, mas muito intenso. As descrições da autora parecem palavras embaladas por uma melodia serena e transparente.


Virginia é uma jovem viúva com dois filhos. Viveu sempre manipulada pela mãe, pelo marido e agora pela sogra, Virgínia de volta à Cornualha decide dar um novo rumo à sua vida.
Dez anos depois de um verão na Cornualha volta e reencontra aquele que poderia ter sido ou poderá ser o homem da sua vida.

Uma leitura muito rápida e muito deliciosa. 



sexta-feira

Abelha Zena, a Rainha Serena

Publicada por Ana Isabel Pedroso 1 comentários


O blogue Livros, o meu vício tem o prazer de apresentar o mais recente livro da autora Maria Eugénia Ponte.

No seu primeiro livro de contos infanto-juvenis, “A Gaivota que tinha medo do mar”, Maria Eugénia Ponte não terminou como os outros livros pois, em vez de terminar com FIM terminou com CONTINUA.

O "Abelha Zena, a Rainha Serena" é precisamente a continuação prometida há dois anos, desta vez inteiramente dedicado ao fantástico mundo das abelhas, cuja união é para nós, humanos, uma grande lição.

Tenho seguido com interesse e crescente curiosidade este novo projecto de Maria Eugénia Ponte que nos promete uma viagem de magia que irá deliciar crianças de todas as idades.

Falta pouco mais de duas semanas para o lançamento do livro, que será no dia 2 de Outubro, pelas 16 horas, no auditório do Museu João Mário, em Alenquer.

Mas as notícias vão aparecendo, a pouco e pouco, e quem quiser acompanhar pode fazê-lo pelo blogue, em que a autora vai partilhando as várias fases do projecto, ou pelo grupo que foi criado no Facebook para o mesmo efeito.

Link do blogue -    http://abelhazena.blogspot.com/

A capa está deliciosa e a Zena tem um ar tão meiguinho que já nos faz sonhar com as suas aventuras, não acham?

quinta-feira

"O Anjo Branco" de José Rodrigues dos Santos

Publicada por Ana Isabel Pedroso 3 comentários

Título: O Anjo Branco

Autor: José Rodrigues dos Santos

Editora: Gradiva

Páginas: 680



Baseando-se em factos reais, José Rodrigues dos Santos traz-nos desta vez uma obra sobre Moçambique, os portugueses, a guerra colonial e, sobretudo sobre o mais aterrador segredo de Portugal no Ultramar.

A vida de José Branco mudou no dia em que entrou naquela aldeia perdida no coração de África e se deparou com o terrível segredo. O médico tinha ido viver na década de 1960 para Moçambique, onde, confrontado com inúmeros problemas sanitários, teve uma ideia revolucionária: criar o Serviço Médico Aéreo.

No seu pequeno avião, José cruza diariamente um vasto território para levar ajuda aos recantos mais longínquos da província. O seu trabalho depressa atrai as atenções e o médico que chega do céu vestido de branco transforma-se numa lenda no mato.

Chamam-lhe o Anjo Branco.

Mas a guerra colonial rebenta e um dia, no decurso de mais uma missão sanitária, José cruza-se com aquele que se vai tornar o mais aterrador segredo de Portugal no Ultramar.

Inspirado em factos reais e desfilando uma galeria de personagens digna de uma grande produção, O Anjo Branco afirma-se como o mais pujante romance jamais publicado sobre a Guerra Colonial – e, acima de tudo, sobre os últimos anos da presença portuguesa em África.

José Rodrigues dos Santos, dando prova da sua já conhecida e reconhecida capacidade de renovação constante, continua a surpreender. Com efeito, no seu novo romance, adopta um registo mais intimista e revela outra faceta aos seus muitos leitores, numa atitude de desassombro e coragem que não deixará de empolgar e até emocionar.

Este é um livro que todos os portugueses sentirão como muito próximo – pelas experiências, pelos acontecimentos narrados, pela repercussão dos factos.


Sobre o autor:
José Rodrigues dos Santos nasceu em 1964 Moçambique. É sobretudo conhecido pelo seu trabalho como jornalista, carreira que abraçou em 1981, na Rádio Macau. Trabalhou na BBC, em Londres, de 1987 a 1990, e seguiu para a RTP, onde começou a apresentar o 24 horas. Em 1991 passou para a apresentação do Telejornal e tornou-se colaborador permanente da CNN entre 1993 e 2002.

Doutorado em Ciências da Comunicação, é professor da Universidade Nova de LIsboa e jornalista da RTP, tendo ocupado por duas vezes o cargo de Director de Informação. da televisão pública. É um dos mais premiados jornalistas portugueses, galardoado com dois prémios do Clube Português de Imprensa e três da CNN, entre outros.


A minha opinião:
Sendo eu fã dos romances do autor José Rodrigues dos Santos, o "Anjo Branco" estava na minha lista, dos livros para serem lidos em 2010. 2010 já passou e 2011 está quase no fim e só agora é surgiu a oportunidade de o ler.

Do pouco de ouvi de algumas entrevistas do próprio autor, este livro conta-nos a história do pai no continente africano mais concretamente em Moçambique.
Os dados históricos são reais, bem como algumas situações passadas com o médico José Branco, o resto é ficção.
Sempre num registo de escrita calma e sedutora, JRS contagia-nos com todo o ambiente vivido no livro, como o calor sentido em Tete e a praia da Beira, vista da sombra do velho barco encalhado, uma imagem é  de cortar a respiração.

O livro começa com o nascimento de José Branco. As primeiras semanas foram difíceis. Nasceu frágil e muito debilitado, aparentando ser um coelho assado. No seu corpito magro apenas se destacava o umbigo, que demorava a cicatrizar e um enorme pénis. Devido a este atributo, todas as mulheres da aldeia, incluindo familiares queriam ajudar dona. Amélia a dar banho ao pequeno Zezinho.
Com o avançar da leitura, vamos acompanhando  a infância, adolescência e vida adulta de José Branco e ao mesmo tempo o autor situa-nos no tempo da História, passando pelo regime de Salazar e Marcelo Caetano.
E termina com o massacre numa aldeia perto de Tete. Quando José Branco, a irmã Lúcia e Sheila chegam à aldeia para ver se alguém precisa de ser socorrido, dão com aquele cenário devastador. A certa altura, o médico apercebe-se que o vulto se mexe. Aproxima-se e a cena que vê, é de  uma mãe protegendo com o seu corpo o filhote bebé.

Além de ser uma excelente leitura, também é uma aprendizagem em termos de História, do que aconteceu em Moçambique nos anos 60 e 70.

sábado

Vencedores do Passatempo "O Perfume da Savana"

Publicada por Ana Isabel Pedroso 5 comentários

Cá está o resultado do passatempo "O Perfume da Savana ".
Um  obrigado ao autor por ter possibilitado a realização deste  passatempo e a todos os 106 participantes.


Aqui estão as respostas correctas às perguntas efectuadas:

1 - Em que continente se passa esta história?
No continente africano.

2 - Quantas páginas tem este livro?
Tem 376 páginas.

3 - Em que ano nasceu o autor?
Nasceu em 1940.


E os vencedores foram sorteados aleatoriamente pelo random.org

33 - Maria José Pereira
Barcarena


72 - Maria Armanda Marques
Rates


86 - Cipriano Oliveira
Lisboa


Muitos Parabéns e Boas Leituras!!!

domingo

"Onde está o branco em ti" de Ricardo Antunes

Publicada por Ana Isabel Pedroso 6 comentários

Título: Onde Está o Branco em Ti?

Autor: Ricardo Antunes

Páginas:176
 
Editora: Quinta Essêncial
 
 
Sinopse:
O amor está vivo. Temos de o procurar enquanto vivemos.
 
Uma estranha e súbita morte leva um grupo de amigos a procurar respostas que os façam encontrar um sentido para aquele inesperado acontecimento.
Numa viagem em que se irão confrontar com o mundo, com os outros e finalmente consigo próprios, vão viver momentos de intensa alegria, cheios de risos e afectos, mas também momentos marcados pelas aparências, pelas lágrimas e pelas desilusões.

Gradualmente, aproximam-se do limite a que conduzem as suas opções. Nessa altura, dá-se o confronto
entre o desejo de deixar tudo para trás e retomar os dias de sempre e a vontade de penetrar definitivamente no caminho que os levará às respostas que, afinal, sempre procuraram.
 
 
Sobre o autor:
Ricardo Antunes nasceu em Sintra, em 1978.
Começou a viajar pelo país e pelo estrangeiro desde muito cedo, percorrendo a pé e à boleia inúmeros lugares, contactando com realidades e pessoas muito diferentes. Às vezes acompanhado, outras vezes sozinho, viveu experiências profundas que o marcaram para sempre.
Licenciado em História Moderna e Contemporânea, a paixão pelos livros levou-o a seguir uma carreira profissional em contacto permanente com eles.

Escreveu Onde Está o Branco em Ti?, no início um conjunto de pequenos fragmentos rabiscados aqui e ali. Alguns anos mais tarde, percebeu que aquelas primeiras páginas, escritas quase sem querer num momento de inspiração, poderiam transformar-se numa história que tocasse o coração das pessoas. E assim nasceu este livro, agora editado pela Quinta Essência.

Actualmente encontra-se a escrever o seu próximo romance.

rricardoantunes@gmail.com



A minha opinião:
Há livros que nos desassossegam e este foi um deles.
Como é habitual, ando pela página inicial do facebook a ver as novidades e de repente, "tropeço" neste livro. O que inicialmente me chamou mais a atenção foram os comentários, principalmente o «impossível resistir» do blogue Prazer da Leitura. Abri o link (do blogue Pedacinho Literário) e dou com este livro, este dessassossego de livro.

Há livros que têm de ser lidos e por isso mesmo, não vou contar mais, a não ser o que está na sinopse.

Poderei dizer que com este livro se faz uma viagem interior.
Vamos descobrir no nosso mais intímo recanto, qualquer coisa que nos faz conhecer um pouco melhor.

Se me perguntassem, este é um livro obrigatório de ler, eu diria, de caras, que sim!

sábado

Passatempo do livro "O Perfume da Savana" de Ludgero Santos

Publicada por Ana Isabel Pedroso 0 comentários

O blogue Livros, o meu vício promove mais um passatempo, desta vez com a própria colaboração do autor, Ludgero Santos, para oferecer três exemplares do livro "O Perfume da Savana".


Regras do Passatempo:

- O passatempo decorrerá até às 23h59 do dia 10 de Setembro.

- Os dados solicitados (nome completo, email, morada completa, código postal e localidade) serão enviados para o endereço ana.sapedroso@gmail.com e qualquer participação que não possua algum destes dados é automaticamente anulada.

- Os vencedores serão sorteados aleatoriamente, sendo o anúncio dos vencedores efectuado por e-mail e publicado no blogue.

- Só é aceite uma participação por pessoa/morada e, por questões relacionadas com o envio do prémio só serão aceites participações de residentes em Portugal (continental e ilhas).

As respostas poderão ser encontradas aqui.

1 - Em que continente se passa esta história?

2 - Quantas páginas tem este livro?

3 - Em que ano nasceu o autor?

Boa Sorte!



segunda-feira

Escritor Samuel Pimenta lança Blog Oficial

Publicada por Ana Isabel Pedroso 1 comentários
ESCRITOR SAMUEL PIMENTA LANÇA BLOG OFICIAL



O escritor Samuel Pimenta acaba de lançar o seu mais recente projecto: um blog oficial. O autor d' "O Escolhido", da trilogia "Heros, O Escolhido", sob a chancela da Planeta Editora, tornou o blog público na Segunda-Feira, pelas 00h00, com o endereço samuelpimentablog.blogspot.com.

O jovem escritor, que no final de 2010 e início de 2011 andou em apresentações pelo país, sentiu que havia chegado o momento de ter um espaço com um conceito seu e onde pudesse publicar, regularmente, textos da sua autoria. Como revela na primeira publicação do blog, Samuel Pimenta pretende que o novo espaço permita que os leitores fiquem a conhecer mais da sua escrita, do seu estilo e da forma como olha o mundo e o apreende através das palavras. Samuel Pimenta promete poemas, crónicas, pensamentos e comentários a citações e imagens, num regime de publicações diárias. Acima de tudo, quer que o novo espaço seja um portal para a imaginação livre, o lirismo e a essência divina das palavras.

O blog adoptou o nome do escritor e surgiu do sucesso alcançado pelo blog de poesia que Samuel Pimenta manteve durante dois anos, o Linhas, especialmente entre os leitores do Brasil.


Sobre Samuel Pimenta:
Samuel Pimenta nasceu a 26 de Fevereiro de 1990, em Alcanhões, Santarém. Licenciado em Ciências da Comunicação pela Universidade Nova de Lisboa, começou a escrever com 10 anos. Colaborou com jornais regionais e foi cronista na revista online "Clique". É beneficiário da Sociedade Portuguesa de Autores desde 2006. Em 2007, viu-se classificado em 2.º lugar no Concurso de Escrita da Biblioteca Municipal Dr. Hermínio Duarte Paciência, em Alpiarça. Em 2010, foi um dos contemplados com o VI Prémio Literário Valdeck Almeida de Jesus na vertente de poesia, no Brasil. É autor do romance "O Escolhido", editado pela Planeta Editora, primeiro volume da Trilogia "Heros, O Escolhido", do género Fantástico. Além da escrita, dedica-se, também, ao Reiki.

domingo

"A Mulher do Capitão" de Ludgero Nascimento dos Santos

Publicada por Ana Isabel Pedroso 1 comentários

Título: A Mulher do Capitão

Autor: Ludgero Nascimento dos Santos

Páginas: 224

Editora: Alfarroba



Sinopse:
Um Romance intenso, apaixonate, que transporta o leitor a um tempo de amores proibidos e sentimentos fortes, mas também de relações de aparências, guerra e morte. Porque há histórias de amor que têm de ser contadas.

A minha opinião:
Depois de ler "O Perfume da Savana" ao qual fiquei totalmente rendida ao autor, quis continuar na mesma "onda", e isso traduziu-se no outro livro do autor, "A Mulher do Capitão".
Este livro segue a linha do anterior, uma grande história de amor. Embora tenha os mesmo ingredientes, o amor, a traição, as imagens, os cheiros, o autor consegue renovar-se e voltar a apropriar-se do leitor. A sua grande característica em usar as palavras, formando frases, muitas vezes, simples, mas com uma enorme carga de sentimento.

As primeiras páginas voltam a deliciar todos aqueles que são apaixonados por Angola. A descrição tão real que julgamos que estamos ali perante aquele ambiente mágico.

Diana é filha do veterinário e da professora lá da aldeia, perto de Santarém. Até aos 9 anos viveu na aldeia com os pais, mas depois para continuar os estudos teve de ir para casa dos tios, em Lisboa. Até ao dia que fez 18 anos, a vida de Diana correu sem grandes mudanças, mas deste dia em diante, não seria assim.

Com o avançar das páginas vamos vivendo uma belíssima história de amor, que podia ter sido protagonizada por qualquer um de nós.

Espero que o autor esteja a preparar o seu terceiro romance...

quinta-feira

Frases sobre livros...

Publicada por Ana Isabel Pedroso 1 comentários

"A leitura é uma fonte inesgotável de prazer mas por incrível que pareça, a quase totalidade, não sente esta sede." (Carlos Drummond de Andrade)

quarta-feira

Blogue dedicado ao livro A BOFETADA de Christos Tsiolkas

Publicada por Ana Isabel Pedroso 2 comentários


O blogue dedicado ao livro A BOFETADA, de Christos Tsiolkas, a ser publicado pela D. Quixote no final do mês e vencedor do Commonwealth Writers' Prize e nomeado para o Man Booker Prize, já está online.

 Pode encontrar no blogue tudo sobre este livro que causou um amplo debate por onde tem sido publicado e que foi adaptado para a televisão, numa série de grande qualidade que estreia em Setembro.

Está também disponível no blogue um ficheiro com a capa em alta resolução, a foto do autor, um dossier de imprensa e uma pré-publicação.

Os visitantes podem também participar num inquérito sobre se concordam ou não com a bofetada que foi dada à criança no livro.

Para além disso, foi criada também uma página de fãs no Facebook (http://www.facebook.com/pages/A-Bofetada/163309250411755) e uma conta no Twitter (http://twitter.com/ABofetada).

Pode consultar o blogue em http://abofetada.blogs.sapo.pt/.

terça-feira

Já Não Se Fazem Homens Como Antigamente" de Daniela Pereira, João Pedro Duarte e Pedro Miguel Rocha., Miguel Almeida

Publicada por Ana Isabel Pedroso 2 comentários


Título: Já Não se Fazem Homens como Antigamente

Autores: Daniela Pereira, Pedro Miguel Rocha, Miguel Almeida, João Pedro Duarte

Páginas: 176

Editora: Esfera do Caos

Coleção: Esfera Contemporânea
 
 
Sinopse:
Lá diz o povo que rir é o melhor remédio. E que a brincar se dizem as coisas sérias. E também as patetices, se tudo correr pelo melhor. Este livro levanta assim questões fundamentais para o futuro da humanidade: Os velhotes não deveriam ter o Viagra comparticipado pelo SNS? Se as pessoas das relações virtuais fossem assim tão interessantes estariam mesmo nos chats? Não seria já altura de perdermos a vergonha e abastecermos a nossa despensa de artigos da Sex Shop? Estas histórias falam sobre o prato principal, o Amor, isso é garantido! Mas com o acompanhamento de outros sabores como a ilusão, a obsessão, ou a tão portuguesa saudade, num registo humorístico, sentimental e despretensioso.


Sobre os autores:

Daniela Pereira
Autora dos livros "Cortar as palavras num só golpe" (2005), "Afectos Obsessivos: A poesia curiosamente sem açúcar" (2007) e "Nas águas do verso - 100 autores - 100 poemas (2008).

João Pedro Duarte
Nasceu a dois passos do Chapitô e do Castelo de São Jorge. Era a banda gótica The Cure que lhe enchia os ouvidos quando andava no Liceu de Oeiras. Licenciado em Psicologia, cedo demonstrou interesse por uma área menosprezada, a Psicologia Transpessoal de Carl Jung, que aborda o fenómeno da parapsicologia. Foi Monitor de Educação de crianças internadas em IPSS. Trabalhou com crianças autistas na APPACDM. Vive no centro histórico de Lisboa e já não prescinde da vista panorâmica sobre o rio e das calçadas mouriscas. Cruzou-se entretanto com diversos artistas, cantores, fotógrafos, artesãos e escritores e com eles criou cumplicidades indestrutíveis.

Miguel Almeida
Miguel Almeida nasceu em Rãs, pequena aldeia do distrito de Viseu, em 1970, e fez o ensino básico e secundário em Sátão. Este é o seu terceiro livro publicado, depois de Um Planeta Ameaçado: A Ciência Perante o Colapso da Biosfera (Esfera do Caos, 2006) e A Cirurgia do Prazer: Contos Morais e Sexuais (Esfera do Caos, 2010). Licenciado em Filosofia (Variante de Filosofia da Ciência) pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, onde também fez o Mestrado em Filosofia da Natureza e do Ambiente, exerce actualmente funções docentes na Escola Secundária Cacilhas-Tejo, em Almada. Vive na Costa da Caparica, com a mulher, Carla, e o filho, Gabriel, na proximidade poética da família e do mar. Está já a preparar futuros livros, nas áreas da prosa de ficção e da poesia.

Pedro Miguel Rocha
Licenciou-se em Ensino de Português e Inglês em 1997. Complementou a sua formação académica, em 2006, com uma Pós- Graduação em Ciências da Informação e da Documentação. Para além da escrita, gosta de ler, de viajar, de caminhar pela Natureza e de apreciar um céu primorosamente estrelado. Obras publicadas: Juntos Temos Poder (2009); Chegámos a Fisterra (2010); Já não se fazem Homens como antigamente (2010, em co-autoria).

A minha opinião:
Um livro lido na altura certa. Um livro bem divertido onde podemos encontrar personagens bem características como a Clara e o casal Solidónio e a dona Maria da Encarnação.

Quatro contos. Quatro autores. E divertimento a multiplicar por quatro.

Já não se fazem homens como antigamente, lá isso é verdade, mas não são só os homens, as mulheres também já não são como as de antigamente, assim como a sociedade. Em alguns casos passámos do oito para o oitenta...

A realidade nua e crúa está bem retratada neste excelente livro de humor.

"Rir é o melhor remédio!"

segunda-feira

"O Perfume da Savana" de Ludgero Santos

Publicada por Ana Isabel Pedroso 4 comentários


Título: O Perfume de Savana

Autor: Ludgero Santos

Páginas: 376

Editora: Pé de Página Editores


Sinopse:
Situado nos tempos em que África era uma colónia portuguesa, o presente romance espelha com intensidade os fascínios desta terra quente e inebriante e centra-se numa história de amor entre dois jovens que tudo ultrapassam para viver um amor proibido.

Ao mesmo tempo que este livro se constitui como retrato de uma época, evidenciando os seus traços culturais e, em particular, a forma como mulher é socialmente vista, ele conduz o leitor aos meandros da natureza humana e à filigrana dos sentimentos que dão cor à memória e tornam a vida uma intensa e enigmática aventura.


Sobre o autor:
Ludgero Nascimento dos Santos nasceu em 1940 numa pequena aldeia lá no sopé da grande serra. Imerso entre mulheres - mãe, duas avós, quatro tias, duas irmãs.
Posteriormente teria outra -, a única figura masculina era o seu avô, austero com elas, terno com ele.
Aos quatro anos embarcou com a mãe e as irmãs no "Mouzinho de Albuquerque" a caminho de Angola, onde se juntaram a seu pai. Aí a infância foi feliz até perder duas irmãs, a mais nova e a mais velha; a primeira por doença, a segunda num acidente de viação.
O primeiro emprego dos catorze que teve na vida conseguiu-o numas bombas de gasolina. Foi ajudante de mecânico, pescador, descascador de batatas, ajudante de cozinheiro, condutor de camiões, tractorista, electricista, soldador, mecânico de máquinas, armazenista e, por vezes, desafiava o rio na pesquisa de diamantes. Foi chamado a combater na Guerra Colonial, jogou futebol, casou e teve duas filhas.


A minha opinião:
Quando vi a capa deste livro num escaparate de uma livraria, lembrei-me que tinha lido algo sobre ele. Voltei a pegar no livro e li a sinopse. Era isso mesmo, o livro falava de Angola, a terra do meu marido. Bastou-me isso para querer lê-lo.
A seguir, sentei-me numa esplanada e decidi passar uma vista de olhos pelas primeiras páginas. Foi um erro. Mas um bom erro porque não fui capaz de o largar.
Há livros assim, apoderam-se do leitor. Com uma extrema facilidade tomam o lugar da leitura do momento, que por acaso estava a ser bastante divertida.
As primeiras páginas deste livro são um excelente aperitivo para o que vamos ler.
A escrita do autor é leve, suave, delicada, cuidada. Fiz a comparação da escrita do autor com um pintor. O pintor quando pinta coloca toda a sua alma  no quadro e consegue-se ver muito mais além do quadro. Ludgero Santos consegue ser assim,  transparente. Os cheiros, as cores, as paisagens, os animais, tudo é tão sentido, tão real.
 
O Perfume da Savana conta-nos uma história um enorme amor entre um homem e uma mulher no Continente Africano, mais propriamente em Angola.
O autor começa por descrever uma cena, poderemos dizer, nos dias de hoje, embora ele situe a acção em 2004 e o livro foi editado em 2008, o que pode querer dizer que demorou algum tempo a escrever e depois a editar. 

Esta cena passa-se no verão, num final de tarde, numa praia da zona do Algarve.
Um grupo de casais falam das novas tecnologias. Ao fim de algum tempo, Daniel, o personagem central, decide meter conversa com o grupo de casais e contar como era nos anos cinquenta e em Angola.
 
A partir daqui não conto mais. Não pretendo tirar o sabor da aventura que se sente ao ler esta linda história de amor...que até pode ser real...

"Assim que se olharam, amaram-se; assim que se amaram, suspiraram; assim que suspiraram, perguntaram-se um ao outro o motivo; assim que descobriram o motivo, procuraram o remédio." - Shakespeare

domingo

"A Mulher do Capitão" de Ludgero Nascimentos dos Santos

Publicada por Ana Isabel Pedroso 3 comentários

Estando completamente rendida à escrita e às histórias de Ludgero Nascimento dos Santos, não resisiti e hoje ao passar perto de uma Fnac,  trouxe o que será a minha próxima leitura.

sábado

Selinho - este blog é nota 1000

Publicada por Ana Isabel Pedroso 3 comentários


Obrigada Fadinha pelo teu carinho.

Uma das regras para receber o selinho é falar dez coisas sobre mim...detesto falar sobre mim...
- Sou muito exigente comigo e com os outros, mas penso que estou a melhor...aprende-se com a idade;
- Quando gosto, gosto, mas às vezes,  sofro uma decepções;
- Sendo balança de signo e ainda por cima com ascendente também em Balança, o que quer dizer que sou Balança ao quadrado, gosto da justiça!
- Sou viciada em livros, aliás, nunca saio de casa sem levar um livrinho dentro da mala;
- Gosto de cozinhar na minha Bimby;
- Detesto todas as tarefas de casa, como limpar pó, aspirar, fazer camas, passar a ferro...
- Cuido das minhas amizades, até mesmo as amizades virtuais, que já vão sendo algumas;
- Sou muito determinada;
- Todos os dias, faço por ter o momento zen...ler um livro deitada na minha cama, sem qualquer barulho à minha volta;
- Por último e o mais importante na minha vida, a minha filhota e o meu marido, eles são o meu porto seguro.

Agora deveria de seguir a regra e indicar dez blogues merecedores deste selinho, mas vou passar à frente e oferecê-lo a todos os meus seguidores e agradecer. Obrigada por existirem, pois sem vocês, este blogue não fazia sentido!

Excelente comparação

Publicada por Ana Isabel Pedroso 2 comentários

«Talvez fosse um pouco mais velha, uns quarto ou cinco anos, porque havia no seu rosto algumas rugas a mais do que no dela. E as rugas são as melhores informadoras da idade de uma pessoa. São quase como os códigos de barras dos produtos do supermercado, que nos indicam todas as características dos produtos que enfiamos no cesto.
As rugas são os nossos códigos de barras, porque naquelas linhas disformes está marcada toda a nossa vida, sem direito a omitir os dias menos favoráveis. Está tudo lá registado e bem visível aos olhos de todos, num simples franzir de testa

Página 16 do livro "Já Não Se Fazem Homens Como Antigamente" de Daniela Pereira, João Pedro Duarte, Miguel Almeida e Pedro Miguel Rocha.

Uma comparação que faz todo o sentido.

quinta-feira

A minha caixa do correio

Publicada por Ana Isabel Pedroso 5 comentários
Hoje de manhã, por volta das 10:30h, alguém tocou à campanhia. Perguntei quem era e do outro lado, ouvi dizer: «é o carteiro e tenho um envelope grande que não cabe na caixa do correio. Posso subir?» «Sim», respondi.
Quando abri o envelope, já sabia que eram os livros que eu tinha encomendado ao autor Miguel Almeida. Dentro de cada livro, logo na primeira página uma simpática dedicatória para mim.

Este primeiro livro, "Já Não Se Fazem Homens Como Antigamente" foi escrito por quatro autores, Daniela Pereira, João Pedro Duarte, Miguel Almeida e Pedro Miguel Rocha.



Este segundo livro, "A Cirurgia do Prazer" foi escrito pelo Miguel Almeida.


Resta-me dizer, que serão as minhas próximas leituras.

Boas Leituras ;)

quarta-feira

"O Lobo de Wall Street" de Jordan Belfort

Publicada por Ana Isabel Pedroso 3 comentários


Título: O Lobo de Wall Street

Autor: Jordan Belfort

Páginas: 632

Editora: Editorial Presença

Coleção: Vidas D´Escritas



Sinopse:
Esta é a autobiografia de Jordan Belfort, o então jovem corretor de Wall Street que nos anos 90 se sobrepôs à lógica da economia, manipulou o mercado bolsista e ganhou uma fortuna incalculável. Uma história verídica e fulgurante, escrita num registo confessional a que não é alheio um apurado sentido de humor, onde Belford relata ao pormenor a sua ascensão prodigiosa e queda inevitável. Chamavam-lhe «O Lobo de Wall Street», e a própria máfia colocou operacionais na sua empresa para aprenderem com os seus métodos. Uma leitura actual e aliciante que nos dá a conhecer os meandros do universo da bolsa nova-iorquina.

Sobre o autor:
Jordan Belfort, nasceu a 9 de Julho 1962, em Queens, Nova Iorque. Foi um dos mais implacáveis corretores de Wall Street e acabou por ser preso por actos de manipulação do mercado bolsista.
A sua autobiografia tornou-se um bestseller, estando traduzida em cerca de quarenta países; será brevemente adaptada ao cinema pelo realizador Ridley Scott, com Leonardo DiCaprio como protagonista.


 
A minha opinião:
Há algum tempo que andava atrás deste livro e numa das minhas pesquisas pela biblioteca, encontrei-o.

Uma excelente autobiografia escrita pelo próprio. Jordan Belfort despe a pele de lobo de Wall Street e sem qualquer preconceito conta toda a sua história.

O livro inicia-se com a entrada do jovem Jordan na sala de correctagem da Wall Street pela mão de Mark Hanna. Depois pelo divórcio com a primeira mulher, o casamento com a segunda, o nascimento dos filhos, a criação da Stratton Oakmont, uma firma de investimentos e todo o estilo de uma vida cheia de excessos. Todo o ambiente vivido na sala de correctagem era sem limites, ali, tudo era permitido. Por último, assitimos ao seu  internamento numa cliníca de reabilitação. Este internamento é feito conta a sua vontade, isto porque, não admite que precisa de ajuda para deixar a dependência das drogas. E finaliza com a sua detenção e todos aqueles que estiveram envolvidos no negócio de branqueamento de capitais.

"Uma autobiografia que se lê como um romance" - Publishers Weekly

sexta-feira

"Por um dia mais" de Mitch Albom

Publicada por Ana Isabel Pedroso 1 comentários


Título: Por um dia mais

Autor: Mitch Albom

Editora: Estrela Polar

Páginas: 204

Sinopse:
O que faria se tivesse uma oportunidade, uma única, de voltar atrás e corrigir algo que fez de errado?

POR UM DIA MAIS narra o percurso de Charles Benetto, um ex-jogador de basebol destruído pelo álcool e pelos seus fantasmas interiores. Depois de perder o seu trabalho e a família, desiludido e tomado por uma profunda tristeza, Charles decide suicidar-se, mas até nisso falha. Dirige-se então à casa da sua infância, onde acaba por ter uma incrível surpresa: a sua mãe, já falecida, reaparece, agindo como se nada tivesse acontecido.

O que se segue é aquele dia “a mais” que todos nós tantas vezes desejámos, para fazer as pazes, explicar segredos de família, repensar escolhas e, mais do que tudo, perdoar e ser perdoado.

Com sensibilidade e delicadeza, Mitch fala neste livro sobre o poder do amor, fazendo-nos viajar nas memórias de Charles, um filho como qualquer um de nós - ocupado demais, cansado demais, ausente demais - que se vê diante da única oportunidade de se salvar a si mesmo


Sobre o autor:
Mitch Albom é um premiado jornalista, argumentista, dramaturgo, músico. É também autor de vários livros, todos eles esmagadores best-sellers internacionais publicados em quarenta e quatro países. As Cinco Pessoas que Encontramos no Céu é o seu primeiro romance e foi um êxito imediato, tendo passado longos meses nos lugares cimeiros das listas de best-sellers do New York Times. O autor fundou três instituições de caridade e subsidia projectos de literacia. Foi eleito «Figura do Ano» pelo National Hospice Organization em 1999.





A minha opinião:
Extraordinário. É o melhor adjectivo que consigo encontrar para descrever esta leitura.

Na capa, por baixo do título,  podemos ler...Comovente e perturbador, um livro que fala directamente ao seu coração e que faz acreditar no infinito poder do amor de uma mãe.
É verdade, neste livro podemos sentir isso mesmo e quando se diz, que não há amor maior, que o amor de mãe, também verdade. Ainda nem sequer lhe conhecemos a cara e já amamos tanto aquele ser dentro de nós.

Durante a leitura deste livro, dei por mim a fazer algumas reflexões e cheguei a uma conclusão. Conclusão essa que devemos aproveitar todos os momentos, sejam eles pequenos ou grandes, mas que sejam vividos intensamente.
E não pensem que é um livro de auto-ajuda, nem nada que se pareça, mas que nos obriga, sem mesmo termos essa intenção, de reflectir sobre a nossa vida.



Com três letrinhas apenas,
se escreve a palavra mãe.
E é das palavras pequenas,
a maior que o mundo tem!





(Obrigada Cris pelo excelente BookRing!)
 

Livros, o meu vício Copyright © 2010 Designed by Ipietoon Blogger Template Sponsored by Online Shop Vector by Artshare